NOTA DE SOLIDARIEDADE AO COMPANHEIRO ALESSANDRO DE SOUZA TRINDADE e repúdio à decisão da diretoria da PETROBRÁS

Nota de Repúdio da Comissão Executiva Estadual do Partido dos Trabalhadores do Rio de Janeiro.
06/05/2021
PT-RJ realiza seminários preparatórios para a plenária estadual de educação.
09/06/2021

Fomos surpreendidos ontem pela notícia da demissão do petroleiro Alessandro Trindade, diretor do Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF), filiado à Federação Única dos Petroleiros (FUP). A Petrobrás demitiu o sindicalista por justa causa, alegando participação deste na ocupação Campo dos Refugiados, em Itaguaí, onde aproximadamente mil famílias se encontram neste momento.
Alessandro participa da campanha Petroleiro Solidário, que vem distribuindo cestas básicas às famílias mais necessitadas, desde o início da pandemia, e esteve no local da ocupação, levando alimento àquelas famílias, conforme nota abaixo do SINDIPETRO.

“O movimento Petroleiros Solidários começou no início da pandemia, quando o desemprego, que já tinha números alarmantes, aumentou substancialmente. Alessandro criou, na ocasião, este movimento e vem, desde então, contando com a ajuda de vários trabalhadores e trabalhadoras da empresa. Já foram distribuídas 4 mil cestas básicas. Junto ao Sindipetro-NF, Alessandro também participa da ação do gás a preço justo, comercializando o botijão a 40 reais; já foram 2 mil botijões de gás de cozinha vendidos a preço justo em diversas comunidades do Rio de Janeiro.
Quando o terreno foi ocupado, avisaram ao Sindipetro-NF e à FUP, para que conseguissem alimentos para as famílias. Alessandro, diretor do sindicato, prontamente atendeu ao pedido de levar cestas básicas àquelas pessoas, que não tinham o que comer. A Petrobrás, então, acusou o sindicalista de fazer parte da organização daquela ocupação, quando na verdade ele faz parte da organização do movimento Petroleiros Solidários, que leva alimentos a quem precisa.
‘O sindicato não vai silenciar diante desta injustiça. Continuaremos lutando junto à toda a categoria petroleira por comida no prato de todo o povo brasileiro. Vamos buscar todos os recursos possíveis, para reverter esta demissão injusta’, disse Tezeu Bezerra, coordenador geral do Sindipetro-NF.”

O Partido dos Trabalhadores se solidariza ao companheiro e ao SINDIPETRO por entender que esta violência não afeta apenas ao companheiro em questão mas a toda a categoria de trabalhadores e a independência sindical conquistada com o sacrifício de tantos companheiros e companheiras.

Comissão Executiva Estadual do Partido dos Trabalhadores do Rio de Janeiro.

Os comentários estão encerrados.