61394328 0CA7 455A 9702 C3605460FA97 676x320 - Tribuna de Debates: 2020 – Derrotar Bolsonaro em seu próprio berço

Tribuna de Debates: 2020 – Derrotar Bolsonaro em seu próprio berço

 Secretário de Organização do PT-RJ conclama união de esforços para que o campo democrático e popular consiga vitória sobre o candidato de Bolsonaro em 2020

Na cidade do  Rio de Janeiro a eleição para a prefeitura, em 2020, terá significado político nacional porque apresentará para o campo democrático e popular a oportunidade de derrotar o candidato de Bolsonaro em seu próprio berço.

Não há objetivo eleitoral mais importante do que este, pois nele estaria expressa a derrota  política do presidente fascista que afunda o país no  retrocesso político e na recessão econômica além de sufocar financeiramente o estado do Rio de Janeiro e sua capital com a colaboração do governador Witzel e do prefeito Crivela.

No entanto, a possível derrota de Bolsonaro no Rio exigirá uma estratégia eleitoral complexa e de difícil execução. Antes de tudo o  PT do Rio precisa estar preparado, pois tem um papel importante na discussão com as demais esquerdas das bases de um programa unitário para o Rio de Janeiro. A viabilização de um fórum programático, onde PT,  PSOL,  PCdoB,  PSB e o PDT explicitem suas diferenças e pontos comuns, seria o caminho mais seguro para a construção de sua unidade eleitoral no primeiro turno.

Por isso se impõe a necessidade de um PT unido, mobilizado e motivado tanto para o trabalho de construção partidária quanto para a atuação numa frente com os demais partidos de esquerda. Declaramos a nossa simpatia pela candidatura do companheiro Freixo, do PSOL, mas defendemos, como princípio, que a chapa saia da discussão do fórum dos partidos de esquerda. A divisão das esquerdas no primeiro turno pode viabilizar um segundo turno entre o candidato da direita e o da extrema-direita.

Além de um nome forte, como o de Freixo, precisamos de uma chapa de peso e um programa de governo consistente, capaz de convencer a sociedade de que temos condições para resgatar a grandeza da Cidade Maravilhosa e o seu antigo protagonismo nacional. Para a retomada do PT no município é também fundamental ampliarmos o nosso número de vereadoras e vereadores eleitos.

É com esse desafio que assume, em 2020, a Direção Municipal do PT do Rio de Janeiro. Para enfrentá-lo à altura temos de dialogar, desde já, com todos os setores militantes do PT. O que nos move nessa direção é concertar um pacto interno de recuperação política e orgânica do nosso partido.

Nesse sentido, nosso primeiro compromisso é com a politização da paridade, pois sem a qualificação política da metade feminina de nosso partido este não terá forças para se reerguer. Por isso, que, junto com a Secretária das  Mulheres, viabilizaremos a formação política de nossas companheiras do Diretório Municipal, Diretórios Zonais e das bases do partido. A formação das mulheres como dirigentes políticas e lideranças de massas, sobretudo as mulheres negras do PT, deve ser prioridade estratégica para o fortalecimento do partido como um todo.

É com essa mesma preocupação que trataremos a formação e mobilização da  juventude do PT e do Setorial do Combate ao Racismo e dos LGBTs. As lutas das mulheres, da juventude, dos LGBTs e dos movimentos de combate ao racismo se constituem, ao lado do movimento comunitário que começa a se levantar, os principais protagonistas do enfrentamento do fascismo e da luta pela  democracia em nosso país. São eles que ocupam as ruas contra Bolsonaro.

Por meio do fortalecimento dos Diretórios Zonais e do estímulo à criação de novos núcleos queremos ampliar a capilarização do partido no meio do povo, em especial, nas favelas e periferias da cidade. Nesse sentido, será dada atenção especial ao fortalecimento do movimento comunitário, à FAFERJ e demais associações, bem como às ocupações de trabalhadores sem tetos existentes na cidade do Rio de Janeiro.

A  Fundação Perseu Abramo será chamada a proporcionar a formação política permanente do partido no Rio de Janeiro. Com essa formação, geral e também dirigida para cada setor do partido, buscamos qualificar politicamente a nossa militância e transformar o filiado e simpatizante em novos militantes petistas.

Precisamos de reforço militante, de novas forças dispostas a enfrentar os desafios colocados pelas lutas contra o governo fascista e os futuros embates eleitorais.

As atividades culturais terão seu espaço reconhecido pelo partido e todo o apoio necessário para o seu crescimento, pois elas representam um fator decisivo da resistência democrática e mobilização popular.

Sabemos que um PT do Rio forte ajudará o PT do estado a ser também forte. É grande a influência política que a Capital exerce sobre a Baixada e toda a região metropolitana e queremos que esta seja igualmente a influência do PT do Rio. A força conjunta do PT, do Rio e do Estado, será fundamental para o embate político-eleitoral que em 2022 definirá o futuro do país.

Com todos esses compromissos acreditamos que estaremos mobilizando os mais diversos setores militantes do partido para as lutas específicas e de rua, e ainda para a construção partidária. Entendemos que um partido de esquerda, como o nosso, é definido por sua capacidade prática e teórica de dar direção política ao movimento de massas. A organização é a consequência prática dessa ação maior.

Somos das lutas, da unidade, da organização dos trabalhadores e trabalhadoras e da consciência democrática e socialista.

Viva o Partido dos Trabalhadores

#LulaLivre

Tiago Santana Secretário de Organização do PT-RJ

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *