Menu

Sem Lula, Sem Democracia

Por Luiz Sérgio (Deputado Federal PT-RJ)

O golpe que tirou Dilma Rousseff da Presidência da República, seguiu um roteiro muito claro. Seus arquitetos se valeram do apoio de boa parte da chamada grande imprensa para inflar, de forma artificial, as crises econômica e política criando as condições necessárias para tirar do poder uma mulher com votos e sem crime. Se agarraram ao débil argumento das pedaladas fiscais e desferiram o golpe disfarçado de processo legal.

A aposta dos golpistas era clara: tirar Dilma e o PT do poder conquistado no voto, instalar um governo sem compromisso com o povo e assim colocar em prática uma agenda derrotada nas urnas, que promove a retirada de direitos e o arrocho da classe trabalhadora.

O problema é que o sonho dourado dos golpistas — palavra que abrange, entre outros, parte significativa do PIB instalado no topo da pirâmide da Fiesp; as poucas famílias que comandam boa parte dos meios de comunicação do País; a rancorosa classe média paneleira e políticos acostumados às velhas práticas — naufragou na falta de legitimidade de um presidente impopular, sem legitimidade que formou um governo povoado por raposas de rabo preso.

Até os mais radicais detratores de Lula, Dilma e do PT já reconhecem que fizeram um péssimo negócio. O resultado do golpe foi o aprofundamento da crise econômica e uma encruzilhada política onde o Presidente ilegítimo e seus principais assessores permanecem no poder de forma cambaleante, atingidos por denúncias e flagrantes que abrangem uma vasta gama de malfeitos.

O Brasil vive momento de paralisia e descrença. Em meio a tudo isso ainda conseguiram aprovar uma reforma trabalhista que rasga a CLT e transforma as relações entre capital e trabalho num cabo de guerra injusto onde a vantagem dos patrões passa a ser tão grande que as chances de vitória dos trabalhadores são praticamente nulas.

Em meio a tudo isso, surge a condenação de Lula no caso do triplex. Diante de uma sentença vergonhosa, que ignora fatos e provas, os golpistas comemoraram. Há quem espere ansiosamente que Lula ele seja condenado em segunda instância, preso e impedido de disputar as eleições de 2018. O detalhe é que Lula lidera com ampla margem todas as pesquisas intensões de voto feitas até agora. Tirar Lula das eleições frustrará a expectativa de milhões de brasileiros e mergulhará o País em um ambiente de incerteza até 2022, pelo menos.

Se querem derrotar Lula e o PT, que tenham a coragem de disputar no voto quem tem o melhor projeto para o povo brasileiro. Qualquer coisa fora disso será um golpe dentro do golpe. Nós resistiremos, não abandonaremos a luta. Não há saída possível sem respeito à vontade popular. O nome disso é Democracia.

Comentários