Menu

Contra o autoritarismo e fundamentalismo do governo Crivella: a Cultura resiste!

A Secretaria Estadual de Cultura do Partido dos Trabalhadores do Estado do Rio de Janeiro repudia veementemente as ultimas declarações do prefeito Marcelo Crivella. Em suas redes sociais, desde o dia 01/10/2017, o representante do executivo carioca afirma que não autorizará a mostra “Queermuseu, cartografias da diferença na arte brasileira”, em fase de negociação para ser instalada no MAR (Museu de Arte do Rio). Em tom irônico, com total desrespeito aos princípios constitucionais de direito à diversidade, à liberdade de expressão e à prática democrática da cidadania, Marcelo Crivella afirma que a mostra coletiva terá espaço no fundo do mar, o que promove em nós, trabalhadores e oficiosos da cultura, um sentimento de censura remetendo a casos da ditadura militar vivida neste país, onde desafetos da política, à época, eram “desaparecidos” em alto mar.

A SECULT PT RJ defende que as práticas artísticas e culturais são fundamentais para o desenvolvimento de uma sociedade calcada nos princípios de respeito ao outro, na diversidade e da educação crítica e cidadã. Repudiamos toda e qualquer tentativa de cercear, constranger, desqualificar ou proibir as legítimas atividades artísticas que se desenvolvem no Brasil, construídas responsavelmente pelas instituições culturais, coletivos artísticos e demais agentes, gestores ou produtores culturais.

A atitude arbitrária do prefeito vai contra os mais caros valores defendidos historicamente pelo Partido dos Trabalhadores, posto que são mentirosas suas alegações de que a mostra incita a pedofilia e faz apologia ao sexo.

Infelizmente, a cidade do Rio possui um gestor-censor, que mais uma vez age de forma monocrática, tomando decisões baseadas exclusivamente em suas crenças e utilizando a máquina pública para defender interesses e opiniões pessoais.

Lamentavelmente, a gestão municipal age a serviço da desinformação, visando apenas a promoção do autoritarismo e do conservadorismo, reforçando a política de retrocesso face ao processo histórico que implantou um estado democrático de direito no Brasil.

#Rio+Diverso+plural #SeCultPTRJPresente

Fernanda Camargo
Secretária Estadual de Cultura – PT RJ

Rio de Janeiro, 05 de outubro de 2017



Comentários